h1

Escola Aberta em Maranguape I – Paulista – PE

junho 25, 2008

Quando fui convidada por Robson para participar da Escola Aberta, não tinha idéia do que faziam. Sabia apenas que iria dar aulas de Informática/Inclusão Digital com GNU/Linux aos sábados pela manhã em escola pública, o que para mim, já era muito bom. Uma iniciativa legal, incluir digitalmente pessoas que não tem familiaridade com computador, que não sabem nem digitar nem manusear mouse.
No primeiro dia, vi meus alunos. Turma heterogênea, com pessoas que já sabiam utilizar computador, mas não sabiam nada de GNU/Linux e pessoas que estavam tendo seu primeiro contato com computador naquele momento. E fomos assim … tentando fazer com que aprendessem, cada um em seu ritmo. A mim e Robson se juntou Fred. E até então estamos os três como instrutores de uma das turmas de uma das atividades dos finais de semana da Escola Escritor José de Alencar, situada em Maranguape I, Paulista, Pernambuco. Falei ‘de uma das turmas de uma das atividades’ porque a comunidade e os estudantes do Grêmio dessa escola têm feito um trabalho muito legal. Tem aulas de xadrez, balé, karatê, bordado, música, teatro, desenho e pintura em tela, artesanato, tae-kwon-do, capoeira entre outras oficinas que ocorrem sem uma frequência pré-determinada, como a de grafiti.

É gratificante ver que as pessoas da comunidade vão à escola no final de semana. É na verdade, um conceito diferente do que se havia pois a escola perdeu a estigma de coisa obrigatória para virar espaço de lazer, e lazer com aprendizado que pode ajudar a gerar renda para essas famílias. Que esse projeto não morra e continue com essas atividades tão importantes para a comunidade.

peixebeta

h1

Compartilhando o Workspace do Eclipse?

junho 18, 2008

Sim, é possível!!!!
Não é seguro coisíssima nenhumíssima. Massssss pode vir a ser necessário como foi o caso aqui na empresa!! Estamos mudando uma série de coisas e no meio da história toda, precisamos compartilhar o workspace do Eclipse. Tudo pronto, configurado, rodando contente na máquina de Zé [meu chefe direto], fizemos uma má descoberta: O Eclipse trava o workspace, ou seja, apenas um usuário pode utilizá-lo por vez.

Saímos catando feito uns doidos na net e sofremos pra achar uma única referência que nos salvasse. Motivo? É completamente desaconselhável fazer isso! Consistência dos dados lembra? Assim sendo, resolvemos tentar pra ver o bode que ia dar. ^^ Confesso que fiquei triste com o fato de não haver referência a essa solução. Ela é insegura mas conhecimento é conhecimento!! A galera dos fóruns simplesmente lasca um “VAI INSTALAR UM CVS” sem nem ao menos falar que existe um treco mas que ele não presta e assim sendo instale um CVS. [To desconfiada que esse meu ressentimento é tê-pê-êmico >.<]

Enfim, sem mais delongas, eis a gambiarra do dia [achei aqui]:

Abra eclipse/configuration/config.ini e adicione a linha osgi.locking=none.

Boa dor de cabeça pra você também! ehehehe

PS: Pirráia!! Peixinha do coração! Bem vinda de volta!!! =*

by cel.j

h1

Histórias Nérdicas

junho 6, 2008

Fulano era um rapaz que vivia muito contente a cutucar no Debian e adorava testar comandos, shellscript, essas coisas… até que um dia disseram:
– Fulano, usa aptitude ao invés do apt-get que é mais legal, resolve melhor as coisas.
A carinha do Aptitude

Então Fulano, cegamente e na pressa, começou a usar o aptitude pela linha de comando, que era mais ‘estiloso’, mesmo porque, na interface do aptitude não se usava mouse e tinha que aprender os controls-t da vida e outros comandos que nem o vi tinha visto. Pronto! Estava ele já acostumado à coisa e quando o aptitude perguntava o que podia instalar ou remover ele nem lia, pedia logo pra executar. Foi assim que num belo dia de sol, que ele estava vendo através da janela da sala do suporte, que foi embora o GDM da pobre máquina enferma. Dizem as más linguas que nessa onda foi embora também até o apt. Desse dia em diante, Fulano se declarou avesso ao aptitude. Pobrezinho … do aptitude. Acontece que o aptitude é um gerenciador de pacotes que possui as funcionalidades do apt mais as do dselect e mais um bocadinho.

O problema dos pacotes que eram essenciais e que não poderiam ser desinstalados era simples de resolver pela interface do aptitude. Era apenas pedir pra ver os pacotes que eram pra ser baixados/instalados/removidos (é só apertar o ‘g’ no teclado), chegar no pacote que não deseja que seja removido e marcá-lo pra ficar, digitando ‘=’ ou ‘:’. O ‘=’ vai manter a versão que está do pacote e evita que esse pacote seja marcado para remoção posteriormente. O ‘:’ previne da remoção dessa vez, mas futuramente poderá pedir para remover o pacote novamente.

E Fulano, como ficou? Nem falei pra Fulano como resolvia isso, mas espero que leia o post e se lembre da história =D

peixe beta

h1

Zip multi-part

junho 1, 2008

Olá gente.

Domingo a noite, querendo assistir a mais um episódio da minha série favorita me deparei com um problema… o arquivo [enorme] estava zipado e subdividido em três partes da seguinte forma:

– episodio.zip
– episodio.z01
– episodio.z02

Como isso foi feito? Não sei. ^^

Ao clicar no episodio.zip o compactador de arquivos me retornou a seguinte mensagem de erro:

“warning [/home/celina/Videos/episodio.zip]: zipfile claims to be last disk of a multi-part archive; attempting to process anyway, assuming all parts have been concatenated together in order. Expect “errors” and warnings…true multi-part support doesn’t exist yet (coming soon).”

Resumindo a ópera, o suporte multi-part ainda não existe (será implementado em breve). Foi aí que o tio google salvou minha noite de domingo. Usei a info do seguinte link http://hendra-k.net/how-to-extract-multi-part-zip-files.html

Entra no diretório [usando o console viu?] onde estão os arquivos multi-part a serem unidos e manda ver:

celina@flor $ cat episodio.* > episodio-full.zip
celina@flor $ zip -F espisodio-full.zip
celina@flor $ unzip episodio-full.zip

Onde:
– A primeira linha concatena os arquivos em um só.
– A segunda é um fix que pode ser usado quando um arquivo zip estiver truncado, por exemplo. Nesse caso acima ele ajuda a garantir a integridade desse zipstein montando com pedaços de zips.
– A terceira deszipa a parada.

Prontinho! Duplo clique no meu episódio querido do coração, e diversão garantida. \o/

h1

Javascript?!? Oo

abril 10, 2008

Poutz, essa foi braba.
Tá bom que eu já sabia que Javascript era a última coca zero gelada da barraquinha, mas a galera também atola o pé né?!?

O carinha simplesmente chega e faz um supermario. Assim, assim.. e ainda se desculpando porque o estágio não está completo. >.<

Aff, e nos comments a galera ainda reclama que isto e aquilo tá com defeito.

Um dos visitantes deixou o link para o blog do Jangaron, um “joguinho” no estilo tron.  [Como assim 3D, Bial?!? Oo]. Ainda dá pra configurar coisas como velocidade mínima e máxima de cada um, cor, número de jogadores humanos ou não, tamanho do grid e por aí vai.

 Eu quero aprender essas poooha!! [/me fazendo biquinho…]
E tambem quero trabalhar somente 6h por dia ganhando suficiente pra ter internet legal e nerdar tranquila.. >.< [wagner que tava dizendo que nas oropa é assim…]

h1

Fast food para juízos

abril 2, 2008

Estou viciada em Rss Feeds. Ando acompanhando um monte deles! O motivo é simples, não assisto tv e nem tenho paciência de sair catando informação útil por aí.

Os tais feeds me trazem uma refeição matinal interessante: cabeçalho de notícia, acompanhado de resumo e link para mais informações. Assim tenho como escolher uma alimentação equilibrada pro meu juízo (e ele não anda muito bem sabe? Num espaço de 48h consegui cair dentro de uma caixa de varais de roupa, me enganchar numa pá de lixo (caindo e arrastando tudo que estava em volta), e atropelar um balde cheio de metros de medir tecido dentro do Atacadão dos Presentes, fora ter virado pra trás na cadeira e me estatelado no meio do salão da central administrativa aqui no trampo).

Enfim, os amiguinhos RSS Feeds, têm me trazido coisas interessantes e/ou implausíveis. É o caso do homem que matou a esposa a-ci-den-tal-men-te porque decidiu instalar uma antena de tv usando, ao invés da furadeira, uma  pistola .22 pra abrir um furo na parede.

Outra coisa foi a propaganda da nova campanha publicitária da nokia, que exemplificou muito bem os objetivos da empresa: um cybercafé e os internautas que tavam lá dentro foram elevados a 55 metros do chão por um guindaste.


Cybercafé suspenso

Na base do cyber a explicação: “The real internet finally made mobile“, i.e., “A internet de verdade finalmente tornada móvel“.

Ainda, o Metrô virtual pra estudo de paranóia, o “yogurt” de ontem e a internet de 30Mbps num bairro de São Paulo.

Será que rss feeds causam efeitos colaterais hein? =~

h1

Mozilla-Composer

outubro 17, 2007

Eu ainda não tinha visto, acabei achando sem querer o Mozilla Composer aí não resisti e testei =D Funciona em browser e com ele o usuário fica com liberdade para digitar textos, criar tabelas, importar imagens, criar links e todo o básico para a criação de página com o auxílio de interface intuitiva. Possui abas para que se visualize a página, para ver o html gerado e também as tags html utilizadas(tem aba separada só para isso). E um validador que chama a página da w3c.

exemplo de teste

Eu em particular não sou chegada em código gerado, porém para quem gosta e para quem não está a fim de aprender código e mesmo assim quer fazer alguma página, para quem está começando e inclusive para motivar crianças a mexer com código de forma mais suave, eu creio que seja uma opção boa, com coisas a serem melhorados mas que já pode ser bastante útil.

peixebeta